Seja voluntário!

 

 

A filantropia baseia-se em ação voluntária para o bem comum.
A tradição de dar e compartilhar contribui para a qualidade da vida. Devemos assegurar que a filantropia mereça o respeito e o apoio do público em geral para que os doadores tenham plena confiança nas organizações sem fins lucrativos e nas causas que são chamados a apoiar.
A Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR) declara que todo doador tem os seguintes direitos:

 

  • Ser informado sobre a missão da organização, sobre como ela pretende usar os recursos doados e sobre sua capacidade de usar as doações, de forma eficaz, para os objetivos pretendidos.
  • Ser informado sobre a identidade daqueles que pertencem ao Conselho Diretor e à Diretoria da organização, contando que os mesmos exerçam julgamento prudente no desempenho de suas responsabilidades.
  • Ter acesso à mais recente demonstração financeira anual da organização.
  • Ter assegurado que as doações serão usadas para os propósitos para os quais foram feitas.
  • Receber reconhecimento apropriado.
  • Ter assegurado que qualquer informação sobre sua doação será tratada com respeito e confidencialidade. Qualquer divulgação da mesma deverá ter aprovação prévia.
  • Ser informado se aqueles que solicitam recursos são membros da organização, solicitantes contratados ou voluntários.
  • Ter a opção de ter seu nome retirado de relações de endereços que uma organização possa pretender compartilhar com outras.

 

  • Receber respostas rápidas, francas e verdadeiras às perguntas que fizer.

Fonte: Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR).

 

"Voluntário é o cidadão que, motivado pelos valores de participação e solidariedade, doa seu tempo, trabalho e talento, de maneira espontânea e não remunerada, para causas de interesse social e comunitário."

Lei do Voluntariado 

 

Art. 1. Considera-se serviço voluntário, para fins desta lei, a atividade não remunerada, prestada por pessoa física a entidade pública de qualquer natureza ou instituição privada de fins não lucrativos, que tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social, inclusive mutualidade.

Parágrafo único. O serviço voluntário não gera vínculo empregatício nem obrigação de natureza trabalhista, previdenciária ou afim.

Art. 2. O serviço voluntário será exercido mediante a celebração de termo de adesão entre a entidade, pública ou privada, e o prestador do serviço voluntário, dele devendo constar o objeto e as condições do seu exercício.

Art. 3. O prestador do serviço voluntário poderá ser ressarcido pelas despesas que comprovadamente realizar no desempenho das atividades voluntárias.

Parágrafo único. As despesas a serem ressarcidas deverão estar expressamente autorizadas pela entidade a que for prestada o serviço voluntário.

Art. 4. Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 5. Revogam-se as disposições em contrário.

Brasília, 18 de fevereiro de 1988: 177 da Independência e 110 da República.

 

O Núcleo Assistencial Fraterno endossa os direitos dos doadores e coloca-se a disposição para facultar-lhes amplo gozo dos mesmos.

 

 

Clique no botão abaixo para nos enviar um

e-mail com seu interesse em fazer parte do time de voluntários do NAF ou entre em contato através do telefone (11) 2093-3011